Fale com a Margarida

Mande uma mensagem para a Deputada que ela
te responderá em breve.

Gabinetes

Brasília - DF

Câmara dos Deputados Anexo IV, Gabinete 236
CEP 70160-900 Fax: (61) 3215-2236
(61) 3215-3236

Juiz de Fora - MG

Av. Barao do Rio Branco 2370, 1301
Centro - Cep 36016-910
(32) 3236-2857

Fale com a Margarida

Elas por Elas reúne centenas de mulheres na luta pela igualdade na representação política institucional

Lideranças feministas juiz-foranas participaram nesta quinta-feira (26) do encontro Elas por Elas, no Ritz Hotel, com a deputada federal Margarida Salomão. O evento, promovido pela Secretaria de Mulheres do PT-MG, discutiu a importância do aumento da participação das mulheres na política institucional. A maioria das presentes eram mulheres negras que fazem a luta em suas comunidades. “Olhamos a política de modo diferente. Querem que acreditemos que a política está longe de nós, mas ela está dentro de casa. Lula nos ensinou que é preciso escutar as pessoas e aprender com a sabedoria que construíram em suas vidas. Essa experiência precisa ser expressa nas Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas, Câmaras Federais e até na Presidência da República”, afirmou a deputada.

No pleito de 2018 já está em vigor a lei que determina o emprego de 30% dos recursos das eleições em candidaturas de mulheres. Nesta perspectiva, Débora Renault, vice-diretora da Escola Municipal Dilermando Cruz e representante setorial de Mulheres do PT, defendeu a candidatura daquelas que lutam pelo empoderamento feminino. Por sua vez, a presidenta da Associação dos Moradores do Vale Verde, Maria Aparecida Otávio da Silva, Tatá, direcionou seu pronunciamento ao ex-presidente Lula. Ela defendeu o seu retorno para “continuar nossa felicidade. Ninguém provou nada contra o nosso presidente. Ele precisa voltar para reconquistarmos nossos direitos, o que tiraram de nós, como o direito à moradia, por meio do Minha Casa Minha Vida, e o Bolsa Família. Querem mexer até nos nossos salários, na nossa aposentadoria”, protestou.

Laiz Perrut, vereadora suplente pelo PT e representante da Marcha Mundial das Mulheres, lembrou que, além dos programas sociais, o governo Lula mantinha uma estrutura de organização estatal da qual fazia parte a Secretaria de Políticas para Mulheres, que colaborou para a melhoria da qualidade de vida de todas. A recuperação do que foi perdido, na opinião de Laís, também envolve mais mulheres na política e a eleição de lutadoras como Margarida Salomão. A mensagem recentemente enviada por Lula foi citada em seguida pela deputada: “Não desanimem. Sei que a vida é dura, mas não morri de fome aos 5 anos. Agora é muito difícil me derrubarem. Posso estar preso, mas cada um que esteja solto seja Lula”. Preso, o ex-presidente tem 41% do eleitorado, como indica a pesquisa Vox Populi divulgada nesta quinta-feira (26). Margarida confirmou que o nome de Lula como candidato a presidente será inscrito pelo partido e será feita uma caminhada em agosto, em Brasília/DF. “Queremos nosso futuro de volta”, enfatizou a parlamentar.

Confira as fotos da atividade em nosso Facebook: https://bit.ly/2vbuxQW

Mulheres mudam a vida das comunidades

As mulheres lutam pelos direitos das camadas mais discriminadas da sociedade e por um mundo melhor para todos e todas. A participação feminina no parlamento resulta em mais investimentos em saúde, educação e até na redução da corrupção. “Constato a presença e o protagonismo das mulheres nas reuniões de bairros, associações comunitárias, sindicatos e movimentos sociais, mas elas ocupam poucos espaços de decisão, o que precisamos mudar”.

A superintendente Regional de Ensino de Juiz de Fora, Fernanda Moura, a primeira a ser eleita para o cargo, enfatizou que Margarida Salomão respeitou o resultado das plenárias. Presente no Elas por Elas, a superintendente enfatizou a importância da participação feminina em cargos de direção, de forma a apostar no potencial das mulheres.

Maioria na população, minoria na política

As mulheres representam 50,2% da população de Minas Gerais, mas o estado nunca elegeu uma senadora. Nas últimas eleições, somente cinco candidatas foram eleitas para ocupar uma das 53 cadeiras na Câmara dos Deputados, o que corresponde a menos de 10% do total. Na Assembleia Legislativa de Minas, o quadro é semelhante. Apenas cinco mulheres estão entre os 77 parlamentares eleitos, ou seja, 6,5%. No ranking mundial, o Brasil está na 152ª posição de representação parlamentar de mulheres (Inter-Parliamentary Union – UPU), com 10,94% de participação feminina, enquanto a média mundial é de 23,5%. Isso acontece mesmo sendo as mulheres maioria da população brasileira (51,7%).

Lula Livre domingo

O Ela por Elas foi iniciado ao som da versão do samba Mulheres, de Martinho da Vila, na perspectiva do empoderamento feminino, e encerrado com o convite para participação no Lula Livre, em Juiz de Fora. O evento será neste domingo, 29, a partir das 16h, no Andar de Baixo, localizado na rua Floriano Peixoto, 37. Vai ter música, teatro e humor, entre tantas outras atrações.