Fale com a Margarida

Mande uma mensagem para a Deputada que ela
te responderá em breve.

Gabinetes

Brasília - DF

Câmara dos Deputados Anexo IV, Gabinete 236,
(61) 3215-5236 - dep.margaridasalomao@camara.leg.br

Juiz de Fora - MG

Av. Rio Branco 2370, 1301, (32) 3236-2857

BELO HORIZONTE - MG
Avenida Barbacena, 1018, sala 805, (31) 3504-9736 margaridasalomao.assbh@gmail.com

Fale com a Margarida

Indicada pela deputada Margarida, cientista mineira Gabriela Barreto Lemos recebe medalha Mietta Santiago

A Câmara dos Deputados entregou nesta terça-feira, dia 19, a medalha Mietta Santiago, que visa valorizar os direitos das mulheres. Entre as agraciadas, estava a cientista mineira Gabriela Barreto Lemos, que foi indicada pela deputada Margarida Salomão para receber a condecoração por sua grande contribuição à ciência brasileira.

A cientista Gabriela Barreto Lemos desenvolveu pesquisa inovadora, que permite a captação de fotografias por meio da reprodução de pequenos feixes de partículas, possibilitando a construção de uma imagem que não é visível a olho nu, como a de um ferimento interno no corpo humano. A descoberta coloca em prática uma das mais complexas teorias da física.

A deputada Margarida Salomão afirmou que sente orgulho por ter sugerido o nome de Gabriela Lemos para ser agraciada com a Medalha Mietta Santiago. Margarida, ex-reitora da Universidade Federal de Juiz de Fora, destaca: “Como professora, pesquisadora e deputada, manifesto minha enorme alegria em ter sugerido o nome de Gabriela para a medalha; que nós, mulheres, possamos nos orgulhar desse feito. O mundo é repleto de mulheres incríveis e devemos valorizá-las e incentivá-las também nas ciências”.

Em seu discurso, a cientista Gabriela Barreto Lemos, agraciada com a medalha de platina, afirmou que a solenidade “é uma união simbólica de todas as nossas lutas para que todas as mulheres brasileiras tenham seus direitos respeitados e suas vozes ouvidas”. Ela reforçou que as mulheres podem ser cientistas e, para tanto, devem ter seus direitos respeitados. “Precisamos de programas para atrair as meninas para as ciências exatas. Além de criar condições para que elas ingressem e, também, ascendam na carreira científica. Para construirmos uma comunidade científica igualitária, precisamos de programas específicos que visem em especial as mulheres negras e as mães”, destacou.

Gabriela lembrou a redução drástica de recursos para as universidades públicas nos últimos anos. “Nossas lutas estão apenas começando. Não vamos parar até que toda menina curiosa possa estudar. Dedico essa medalha a todas as mulheres brasileiras com brilho nos olhos e inquietação no coração que não tiveram a oportunidade de estudar”.

Ela agradeceu à deputada Margarida pela indicação do seu nome para a homenagem. “Foi uma honra ser indicada por essa professora, pesquisadora e política, cuja o trabalho eu admiro muito. Agradeço também aos meus pais, que nunca me deixaram duvidar que uma mulher poderia dominar a matemática e a física. É uma honra receber essa medalha ao lado de mulheres tão especiais”.

Medalha Mietta Santiago

Criada em 2017 por iniciativa da Secretaria da Mulher, a condecoração valoriza iniciativas relacionadas aos direitos das mulheres e é entregue anualmente em março, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher.

Mietta Santiago nasceu em Varginha (MG), foi escritora, poetisa, advogada sufragista e feminista. Ela questionou, por meio de um mandado de segurança em 1928, a proibição do voto feminino no Brasil, afirmando que o fato violava a Constituição então vigente. Conseguiu assim o direito de votar e o de concorrer ao cargo de deputada federal, tornando-se a primeira mulher brasileira a exercer plenamente seus direitos políticos.

A Medalha Mietta Santiago é entregue a cinco mulheres que se destacaram na luta por direitos. Nesta edição, foi concedido um prêmio póstumo à vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ). As outras agraciadas foram a professora Gina Vieira Ponte, a médica Beatriz Bohrer de Amaral e a doutora em Bioquímica Debora Foguel.