Fale com a Margarida

Mande uma mensagem para a Deputada que ela
te responderá em breve.

Gabinetes

Brasília - DF

Câmara dos Deputados Anexo IV, Gabinete 236
CEP 70160-900 Fax: (61) 3215-2236
(61) 3215-3236

Juiz de Fora - MG

Av. Barao do Rio Branco 2370, 1301
Centro - Cep 36016-910
(32) 3236-2857

Fale com a Margarida

“Lutaremos contra qualquer projeto que venha desestruturar o setor de saneamento”

A deputada federal Margarida Salomão conduziu nesta terça-feira, dia 03, uma reunião entre parlamentares e integrantes da direção da Frente Nacional dos Urbanitários (FNU). Na pauta, a apresentação da nova organização da Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU), que ficará sob a presidência da deputada Margarida, e as reivindicações da FNU para a comissão.

De acordo com Fábio Giori, diretor de Saneamento da FNU, o governo Temer pretende editar uma Medida Provisória que irá mudar o marco regulatório do saneamento. Por isso, várias organizações reunidas no Fórum Alternativo Mundial das Águas (Fama) deliberaram pela criação do Observatório Nacional do Saneamento, com objetivo de promover a articulação e ação conjunta de instituições e movimentos sociais para a efetivação ao direito ao saneamento, por meio de gestão pública e democrática.  “A consolidação do Observatório, com dados e estudos que apontem em soluções para os problemas do setor, é ponto fundamental para fazermos esse enfrentamento ao processo de mercantilização da água e de privatização do saneamento, garantindo direitos para toda a população do país”, destacou Fábio Giori.

Margarida Salomão destacou que uma mudança na Lei Nacional de Saneamento Básico (Lei nº 11.445/2007) sem um debate técnico e profundo com a sociedade poderia interferir de forma letal no sistema de abastecimento das cidades. “No que nos diz respeito na CDU, certamente lutaremos contra qualquer projeto que venha a desestruturar o setor de saneamento. Também iremos constituir um fórum com todas as entidades que discutem as cidades no Brasil. Precisamos abrir espaços para levar ao cidadão comum o entendimento sobre as privatizações e como isso pode ser lesivo para o seu munícipio”, afirmou a parlamentar.