Fale com a Margarida

Mande uma mensagem para a Deputada que ela
te responderá em breve.

Gabinetes

Brasília - DF

Câmara dos Deputados Anexo IV, Gabinete 236
CEP 70160-900 Fax: (61) 3215-2236
(61) 3215-3236

Juiz de Fora - MG

Av. Barao do Rio Branco 2370, 1301
Centro - Cep 36016-910
(32) 3236-2857

Fale com a Margarida

Margarida busca soluções para resolver alagamentos em Juiz de Fora

A chuva é bem-vinda, principalmente depois de tanta estiagem. Mas, em Juiz de Fora, o crescimento desordenado e o adensamento da ocupação causaram e agravaram pontos de alagamento. É o caso da Várzea, em Benfica, e da Rua do Pedestre, em Nova Era II, áreas visitadas recentemente pela deputada federal Margarida Salomão (PT-MG).

“Não há intervenção urbana sem consequências e quanto mais impermeável a cidade, com novas moradias, mais necessidade de drenagem. Não podemos ter tantas áreas sem rede de captação”, disse a deputada na conversa com os moradores.

O caso da Várzea é histórico. É uma grande área no bairro de Benfica, Zona Norte de Juiz de Fora, chamada também de Jardim de Fátima, que foi loteada sem infraestrutura urbana. O ponto pior é o da Rua Padre Gabriel que sequer é regularizada. Na escritura, o logradouro é descrito como prolongamento da Rua Bartolomeu Bueno.

Com a ocupação do Distrito Industrial e a instalação de uma fábrica que aterrou e fechou a passagem para a vasão de água, a localidade sempre é prejudicada no período de chuvas. O nível da água da rua chega a subir mais de 50 cm acima da rua. Na Rua Paulo Garcia, também na Várzea, o drama se repete. Aterros para construção de galpões dificultaram a saída da água e um recente aterro irregular no terreno público piorou a situação. Nos dois casos, a água entra nas casas.

“Eles falam que tem o projeto de drenagem, já recebemos várias visitas de políticos aqui, mas nada aconteceu”, reclama o Amarildo. Ele alega que é possível resolver o problema com um menor custo.

Sufoco passou Dona Talita, liderança do bairro Nova Era II e moradora da Rua do Pedestre. A localidade tem captação de águas pluviais, mas que ficou insuficiente depois da construção do Residencial Bela Vista, localizado no bairro Santa Isabel, vizinho e situado numa área mais elevada. “A água volta pelo bueiro e entra nas casas. Perdi documentos e objetos, tem gente com dificuldade de locomoção, idosos, que não podem ficar nessa situação toda vez que chove”, relata a moradora.

Como deputada majoritária de Juiz de Fora, Margarida se comprometeu a buscar soluções junto ao prefeito e buscar apoio em Brasília para essas questões.