Fale com a Margarida

Mande uma mensagem para a Deputada que ela
te responderá em breve.

Gabinetes

Brasília - DF

Câmara dos Deputados Anexo IV, Gabinete 236
CEP 70160-900 Fax: (61) 3215-2236
(61) 3215-3236

Juiz de Fora - MG

Av. Barao do Rio Branco 2370, 1301
Centro - Cep 36016-910
(32) 3236-2857

Fale com a Margarida

Margarida participa de roda de conversa sobre as consequências do golpe no Alto Grajaú

A deputada federal Margarida Salomão participou nesta sexta-feira (01) de uma roda de conversa no bairro Alto Grajaú sobre as consequências do golpe para os brasileiros e brasileiras. “É meu papel chegar e contar para vocês o que está acontecendo. Infelizmente, não são notícias boas. Dilma foi reeleita para continuar com um projeto: dos programas sociais, da manutenção da Petrobrás… mas ele fez o contrário. Temer é um ladrão de votos. É como quem vai a um churrasco para comer arroz. E um arroz estragado. Esses reformas (trabalhista e da previdência), a terceirização generalizada, tudo isso deixa os trabalhadores numa situação muito frágil”, destacou.

WhatsApp Image 2017-09-02 at 16.59.26Margarida afirmou ainda que a base de apoio a Temer na Câmara diminui diariamente, mas que o seu potencial de danos ao país ainda é grande. “Ele pegou o nosso dinheiro e comprou muitos deputados. Ele tinha 411 deputados, mas hoje só tem 260. Para passar a reforma da Previdência tem que ter 308 votos. Hoje ele não tem energia política para isso. Independente disso, o golpe continua. Ele está na China tentando vender o Brasil. O pré-sal já foi. A bola da vez é o setor elétrico. Ele quer tomar quatro usinas da Cemig. Se essas quatro usinas forem leiloadas a conta vai aumentar imediatamente. Quero convocar as Câmaras de Vereadores para dizer que não queremos isso. Fui com o governador Fernando Pimentel ao (Ministro do STF) Dias Toffolli que considere ilegal isso. A Fiemg foi junto. Não adianta fabricar o que ninguém vai comprar.  A energia ficará mais cara para todos se isso acontecer”, destacou.

ATUAÇÃO NO BAIRRO

Em 2016, Margarida esteve na praça do bairro Alto Grajaú e percebeu uma situação de abandono do poder público em relação ao local. “Sou uma pessoa de palavra. Vim aqui no ano passado e me disseram que queriam uma melhoria da praça. Agora, vocês estão me dizendo que preferem melhorias no posto de saúde. Minha palavra dada está mantida. Só preciso que tenha a definição do que é prioridade”, destacoU.