Fale com a Margarida

Mande uma mensagem para a Deputada que ela
te responderá em breve.

Gabinetes

Brasília - DF

Câmara dos Deputados Anexo IV, Gabinete 236
CEP 70160-900 Fax: (61) 3215-2236
(61) 3215-3236

Juiz de Fora - MG

Av. Barao do Rio Branco 2370, 1301
Centro - Cep 36016-910
(32) 3236-2857

Fale com a Margarida

Margarida Salomão: Após denúncia, Temer deveria acatar a própria regra e se afastar do governo

A deputada federal Margarida Salomão (PT-MG) afirmou nesta terça-feira (27) que o presidente Michel Temer deveria auto aplicar a regra que criou para afastamento de ministros do governo e deixar o cargo. Temer foi denunciado ontem pelo procurador-geral, Rodrigo Janot, por corrupção passiva, tornando-se o primeiro presidente a responder por crime durante o mandato.

“Há meses Temer disse que se um ministro do seu governo fosse denunciado ele seria imediatamente afastado. Agora o denunciado é o presidente. Está na hora de Temer se auto aplicar esse princípio”, disparou a deputada mineira.
Margarida Salomão lembrou que até mesmo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que a renúncia de Temer seria um gesto de grandeza.

Margarida também critica a continuidade da agenda do governo ilegítimo no Congresso. “No parlamento, prossegue a idiotia: querem votar MPs como se a vida corresse normal.Não digo que são avestruzes para não ofender as aves”.

Para a deputada, o caminho para que o país reencontre a normalidade está muito claro. “É necessário que Temer saia da presidência e sejam convocadas eleições diretas e gerais para que nós possamos dessa forma reencontrar a democracia”, disse.

Denúncia
Rodrigo Janot apresentou denúncia ao Supremo Tribunal Federal contra o presidente Michel Temer (PMDB) pelo crime corrupção passiva. A acusação foi feita com base nas gravações feitas por Joesley Batista, um dos donos da JBS.

A partir da denúncia, o ministro Edson Fachin, do STF, aciona a Câmara, que vai decidir se autoriza ou não o prosseguimento da denúncia. Após a votação, se o plenário do Supremo decidir aceitar a denúncia, Temer vira réu e terá de se afastar do cargo por até 180 dias.