Fale com a Margarida

Mande uma mensagem para a Deputada que ela
te responderá em breve.

Gabinetes

Brasília - DF

Câmara dos Deputados Anexo IV, Gabinete 236
CEP 70160-900 Fax: (61) 3215-2236
(61) 3215-3236

Juiz de Fora - MG

Av. Barao do Rio Branco 2370, 1301
Centro - Cep 36016-910
(32) 3236-2857

Fale com a Margarida

Margarida Salomão repudia ataque às Universidades e Institutos Federais em audiência na ALMG

“As universidades surgiram como instrumentos de afirmação das soberanias nacionais. São as joias da coroa”, afirmou a deputada federal Margarida Salomão (PT-MG) em sua participação, nesta terça-feira (12), na audiência pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, destinada a debater a situação de colapso das instituições federais de ensino no Estado.

 

WhatsApp Image 2017-09-12 at 18.15.33

Na ocasião foi também debatida a criação da Frente Mineira pelas Universidades e Institutos Federais, que para Margarida Salomão é uma ação urgente e louvável. “As universidades são um bem do povo. Vamos colocar fogo no povo, com audiências locais, para que elas não sejam aniquiladas. À luta!”, afirmou.

Ao longo de sua fala, ela relembrou os investimentos feitos pelo ex-presidente Lula e Dilma Rousseff na educação brasileira, principalmente no ensino superior. “Minas, com o investimento dos governos petistas, abriga hoje uma grande rede. Mais de 90 cidades possuem uma unidade ou campus. Pensem nas cidades pequenas. Cortando o dinheiro e vão acabar com essas cidades. Esse recurso público movimenta a economia local e regional. A expansão que Lula e Dilma fizeram ofereceu o acesso ao ensino superior para os filhos e filhas do povo”, explicou Margarida Salomão.

Segundo a deputada, as universidades públicas constituem um acervo poderoso do qual o país não pode abrir mão. Ela, como presidente da Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades Federais, explicou ainda o trabalho realizado atualmente contra os cortes de verbas do Ministério da Educação para a área.

“Nossa luta não é partidária. A frente parlamentar que presido tem inclusive parlamentares da base. Ninguém quer voltar para suas cidades com faculdades fechando cursos. Esse ataque às IFES é de natureza política: contra a universidade pública, gratuita e de qualidade enquanto construção histórica”, ressaltou Margarida Salomão. “A LOA 2018 é a primeira após a emenda do fim do mundo. Será fechar o país que está sendo literalmente vendido na bacia das almas. Desenvolvimento estratégico não é possível sem investir em conhecimento e tecnologia. Nós somos um dos maiores países do mundo. Temos que levantar a cabeça e entender que estamos lutando por soberania”, acrescentou.

A audiência foi uma iniciativa dos deputados estaduais, Rogério Correia, Doutor Jean Freire e Cristiano Silveira (todos do PT). Também participaram da audiência a presidente do Central Única dos Trabalhadores em Minas Gerais (CUT-MG), Beatriz Cerqueira; a coordenadora-geral do Sindicato dos Trabalhadores nas Instituições Federais de Ensino Superior (Sindifes), Cristina del Papa; Claudio Eduardo Rodrigues, vice-reitor, representando Gilciano Saraiva Nogueira, reitor da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM;  Rosângela Carrusca Alvim, membro da Diretoria Executiva do Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco, representando Carlos Barreira Martinez (presidente); Antônio Francisco Cruz Arapiraca, diretor do Sindicato dos Docentes do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – SindCefet -, representando Suzana Maria Zatti Lima (presidente); Késsia Cristina Teixeira de Paula, presidente da União Colegial de Minas Gerais – UCMG, representantes da União Nacional dos Estudantes entre outras entidades ligadas à educação.