Fale com a Margarida

Mande uma mensagem para a Deputada que ela
te responderá em breve.

Gabinetes

Brasília - DF

Câmara dos Deputados Anexo IV, Gabinete 236
CEP 70160-900 Fax: (61) 3215-2236
(61) 3215-3236

Juiz de Fora - MG

Av. Barao do Rio Branco 2370, 1301
Centro - Cep 36016-910
(32) 3236-2857

Fale com a Margarida

Vamos enfrentar a violência contra a mulher, afirma deputada Margarida

Margarida, Dilma e deputadasA deputada federal Margarida Salomão (PT-MG) participou na manhã desta quarta-feira no Palácio do Planalto, juntamente com a presidenta da República, Dilma Rousseff, da cerimônia de lançamento do programa “Mulher: Viver sem Violência”. Na ocasião, a presidenta assinou o decreto que institui a política, que terá investimento de R$ 265 milhões em 2013 e 2014. A intenção do Governo Federal é enfrentar a violência contra mulheres de forma mais forte, integrada e humanizada.
De acordo com a parlamentar, este programa coloca de vez o enfrentamento à violência contra a mulher como política pública prioritária no país. Em sua opinião, este novo conjunto de ações se destaca por vir acompanhado dos mecanismos institucionais para sua efetivação. “Recentemente, a ONU decretou que o mundo vive uma epidemia de violência contra a mulher. O momento para modificar isto de vez é agora. E vamos fazer isso de modo muito eficiente e estruturado, priorizando ainda criar uma nova cultura em nossa sociedade, contra este tipo de situação”.
Durante o evento, a presidenta Dilma anunciou a construção de 27 unidades da “Casa da Mulher Brasileira” nas capitais e no Distrito Federal para o atendimento a mulheres em situação de violência. Os centros integrados de serviços contarão com delegacias especializadas de atendimento à mulher, juizados e varas, promotorias, psicólogos, assistentes sociais, sociólogos e educadores, além de abrigo, acolhimento, e orientação para o trabalho, emprego e renda. De acordo com estimativas da Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM), que coordena o programa, devem ser realizados cerca de 200 atendimentos por dia e 72 mil por ano em cada um deles. “A Casa da Mulher Brasileira é mais que um local de apoio, é um lugar de luta”, afirmou Dilma lembrando que em seu governo foi feito o maior investimento em políticas públicas para mulheres da história do país.
De acordo com a ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), Eleonora Menicucci, que também participou da solenidade, dos R$ 265 milhões, R$ 115,7 milhões serão gastos na construção das unidades, compra de equipamentos e manutenção; R$ 25 milhões na ampliação da Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180; R$ 13,1 milhões na atenção à saúde e R$ 6,9 milhões na humanização da perícia para aperfeiçoamento da coleta de provas de crimes sexuais. O custo médio estimado de cada centro é de R$ 4,3 milhões.